Os desafios na capacitação de profissionais de base operacional e como a gamificação pode ajudar

Contratar as pessoas certas é um dos grandes desafios das empresas. Mas além de contratar, é preciso garantir que o profissional tenha o conhecimento e habilidades adequadas para realizar o trabalho. Por mais que a atividade seja a mesma, cada empresa tem procedimentos e estruturas diferentes e isso acaba acarretando na necessidade de realizar treinamentos.


Para empresas que dependem de um grande número de profissionais distribuídos geograficamente, muitas vezes alocados no cliente, e sem muito contato com a sede, é ainda mais desafiador.


Ao lidar diretamente com o cliente, é exigido também que esses profissionais sejam capazes de oferecer um bom atendimento e relacionamento.



O primeiro desafio é relacionado a agilidade e escalabilidade dos treinamentos. Muitas empresas possuem milhares de trabalhadores e precisam garantir que todos eles estejam capacitados quando surge uma nova demanda de treinamento.


É preciso utilizar meios digitais, automações e inteligência de dados para ter um panorama de como está a atual situação desses profissionais, quais estão devidamente capacitados, quais ainda não concluíram determinados treinamentos e quais ainda nem começaram. Para um grande número de profissionais distribuídos geograficamente, a capacitação presencial se torna muito restrita. Além disso, mesmo utilizando meios digitais, distribuir os treinamentos ainda é um desafio pois muitos profissionais não tem e-mail ou possuem dificuldades em fazer acessos em plataformas virtuais.


Para este desafio uma opção é utilizar a ferramenta WhatsApp. Hoje no Brasil a grande maioria das pessoas, mesmo aquelas que possuem dispositivos mais antigos ou dificuldade com tecnologia, possuem o app instalado no celular para conversar com a família.

É possível automatizar o envio dos treinamentos por WhatsApp para que centenas, e até milhares de profissionais, sejam capazes de recebê-lo instantaneamente e acessá-lo sem dificuldades.


Outro grande desafio é o formato de conteúdo adequado. Geralmente este público não tem muita paciência com conteúdos extensos e repetitivos. É preciso oferecer lições pequenas e curtas, interativas com a possibilidade de ter um senso de progresso. É exatamente neste ponto que a gamificação entra.

A microaprendizagem é uma grande aliada. Ao quebrar conteúdos extensos em pequenas partes, a absorção e retenção do conhecimento fica muito mais fácil. Além disso, ao oferecer elementos interativos, com feedback em tempo real, o profissional tende a manter a atenção e a taxa de conclusão dos cursos aumenta exponencialmente.


Mesmo com uma distribuição legal e um formato de conteúdo adequado, o profissional geralmente está imerso na sua rotina de trabalho e não quer parar para realizar os treinamentos. Campanhas de incentivo ajudam muito pois criam um espírito de competição saudável e ajudam a valorizar ainda mais a capacitação dentro das empresas. Criar treinamentos com rankings períodicos e detaque para os campeões, oferecendo prêmios para os mais bem colocados faz o engajamento aumentar ainda mais. Um prêmio que é muito fácil de oferecer e todo mundo gosta são cupons do iFood. É possível gerar cupons online e distribuir via WhatsApp ou e-mail para os colaboradores com um mínimo esforço.



Conclusão

É importante conhecer bem o seu público e estar alinhado com os objetivos do seu negócio para aplicar com sucesso uma estratégia de gamificação. O contexto das pessoas também deve ser levado em conta e o que as motiva. Espero que esse artigo tenha ajudado a compreender um pouco mais sobre como colocar a gamificação em prática. Se você gostou siga o Lira também no LinkedIn e no Instagram.