Como a Gamificação pode tornar empresas mais produtivas?

Atualizado: Mai 28





Gamificação é um termo que está na moda hoje em dia, assim como transformação digital esteve até pouco tempo atrás. Assim como aconteceu com a transformação digital, várias empresas afirmam dominar o conceito e colocá-lo em prática, mas poucas realmente tem resultados reais. Isso acontece porque implementar uma estratégia, tanto de gamificação quanto transformação digital, exige muito conhecimento prático, domínio de uma metodologia adequada e mudança de mindset, algo que a maioria das empresas e profissionais acabam deixando de lado ou subestimando quando vão implantar em algum projeto.


Um conceito muito difundido de gamificação é o de que se trata da inserção de elementos de jogos em contextos que não são de jogos. Esse conceito exemplifica apenas a ponta do iceberg e dá margens para interpretações de que basta colocar um sistema de pontos, um ranking e badges em um processo ou projeto pra que ele esteja "gamificado". Na realidade, a gamificação surgiu do design comportamental, que nada mais é do que utilizar o design como forma de influenciar o comportamento das pessoas.


Um dos maiores cases de gamificação é o do aplicativo Duolingo. Hoje ele é o maior aplicativo de educação do mundo com mais de um bilhão de usuários. O aplicativo utiliza elementos de jogos para ensinar línguas ( inglês, italiano, espanhol, etc ), mas até aí nenhuma novidade. O seu grande diferencial é a maneira como ele retém seus usuários fazendo com que eles pratiquem quase diariamente, o que é algo essencial para garantir o aprendizado de uma língua nova. O comportamento esperado que o app busca influenciar nos seus usuários é o de que eles entrem no aplicativo pelomenos uma vez por dia e pratiquem pelomenos 10 minutos, para que se crie o hábito de estudar diariamente no app. Eles utilizam notificações, lembretes através de e-mails e competições entre usuários para mantê-los engajados em suas metas, que são diferentes para cada usuário, de treinamento da língua escolhida.





Um dos maiores exemplos de gamificação em grandes empresas é o das milhas aéreas. O objetivo era claro: fidelizar clientes em uma determinada companhia aérea. Quanto mais ele voava, mais milhas ele acumulava para poder obter descontos em passagens. Os resultados foram tão bons que esses programas passaram a oferecer outros tipos de benefícios: o cliente que viajava mais passava a ter acesso a áreas vips dentro dos aeroportos, prioridade no embarque ( o famoso tapete vermelho ) e passou a enxergar como uma forma de status fazer parte desse clube seleto de pessoas com tais benefícios. Era um cliente que não só estava fidelizado, como também se sentia parte de algo maior e se sentia especial por ter tantos benefícios. Uma grande mudança de comportamento comparado quando ele simplesmente voava para se deslocar do ponto A para o ponto B.




O objetivo de uma boa estratégia de gamificação é sempre mudar ou recompensar um determinado comportamento de um colaborador, parceiro ou cliente, que vai trazer resultados positivos para a empresa. Existem empresas que resolveram problemas de dificuldade de contratação de mão de obra qualificada através de um programa no qual um colaborador, que indica uma pessoa que passa no processo seletivo da empresa, recebe uma bonificação em dinheiro. Isso faz com que os colaboradores busquem em sua rede de contatos bons profissionais que nem sempre a empresa teria acesso, facilitando assim o processo de contratação. Algo que o colaborador não faria sem esse "empurrãozinho" extra.


Uma das áreas que mais se beneficia de estratégias de gamificação é a área de recursos humanos, principalmente na parte de treinamento e retenção de talentos. Eu já trabalhei em grandes empresas tradicionais e sempre tinha aquele treinamento online que eu precisava fazer, seja de PDCA, compliance ou algum outro tema que era empurrado para todos os novos colaboradores sem ao menos uma explicação do real motivo de se fazê-los, apenas que era a regra da empresa. A transparência é um dos principais pilares de uma boa estratégia de gamificação: o porquê de se realizar uma determinada tarefa, qual o resultado obtido ao realizá-la e como ele se aplica na rotina de trabalho.


Isso ocorre também na hora de definir a trilha de desenvolvimento de um colaborador. Está claro para os colaboradores da sua empresa quais são os próximos passos para eles subirem de cargo? O que é esperado de um colaborador hoje, quais os resultados e habilidades que ele precisa desenvolver para ser promovido? Se você entra em uma empresa e não consegue enxergar uma trilha de crescimento e nem está claro o que se espera de você, como você vai saber que outra pessoa foi promovida por ter desenvolvido certas habilidades e mostrado resultados, e não por critérios arbitrários de seu supervisor? Uma das maiores causas de perda de talentos é a falta de transparência nos processos de promoção e trilha de carreira.


Em uma boa estratégia de gamificação, a pessoa recebe feedback de suas acões ou comportamento e dos resultados de forma direta e transparente. Isso é essencial para manter a motivação e engajamento, além de fornecer um meio de comparar o que era esperado com o que foi de fato feito e o que pode ser melhorado.




Existem diversos exemplos de estratégias de gamificação que deram bons resultados para grandes empresas. O que elas tem em comum é que a estratégia foi desenvolvida e implantada tendo sempre a pessoa que seria alvo em mente e quais os resultados desejados, além de métricas claras para saber se foram ou não atingidos. As pessoas alvo de uma estratégia de gamificação podem ser colaboradores ( programadores, lideranças da área de marketing, gestores da área de TI ), clientes ( mães, diretores de grandes empresas varejistas, jogadores de futebol amadores ) ou parceiros ( fornecedores de embalagens plásticas, publicitários de agências de marketing digital ). O ponto importante é que não adianta generalizar muito no alvo. Assim como em uma boa estratégia de marketing digital a persona alvo precisa estar bem definida, o mesmo ocorre em uma estratégia de gamificação. É necessário entender como a pessoa alvo vai se sentir quando estiver interagindo ou realizando a atividade ou processo gamificado. Como isso afeta o seu comportamento e como ela vai enxergar os resultados de suas ações e como esse feedback deve ser retornado para ela.


A gamificação permite a criação de ferramentas poderosas capazes de motivar e engajar pessoas, o seu foco é sempre centralizado na pessoa e deve-se ter cuidado com os resultados de comportamento resultantes da sua estratégia. Hoje existem pessoas com problemas sérios de vício em redes sociais ou jogos, que ocorreram por causa de estratégias de gamificação que criaram um hábito tão forte nessas pessoas a ponto de tornar-se um vício.


Nas empresas, o resultado das estratégias de gamificação é voltado para aumento da produtividade, engajamento e motivação dos colaboradores, mas o bem-estar do colaborador não pode jamais ser prejudicado como resultado da exposição a essa estratégia.


Após alguns anos trabalhando com gamificação e tecnologia, pude perceber que cada vez mais empresas se beneficiam dessa ferramenta, assim como seus colaboradores. A rotina de trabalho em grandes empresas tem sofrido grandes mudanças e as empresas que não inovarem e adotarem práticas mais modernas em sua rotina operacional, levando em consideração principalmente o bem-estar de seus colaboradores, terão sérios problemas com retenção de talentos perdendo bons profissionais para os concorrentes.


Se você busca uma plataforma de treinamento com gamificação para engajar e motivar seus colaboradores, acesse o site do Lira Edu e veja como podemos te ajudar!